4 dicas para te ajudar a escolher o destino de intercâmbio.

Realizar um intercâmbio é um sonho que pode mudar completamente a sua vida pessoal e profissional.
Hoje, mais e mais pessoas colocam a realização de um intercâmbio como uma meta de vida. A escolha do destino é  decisão mais importante durante o planejamento.
O mundo é grande e você certamente tem uma lista de lugares que gostaria de viver por um tempo.
Mas, será que essa é a cidade certa pra você ?
Essa é uma escolha muito pessoal e quando estamos planejando algo temos o costume de idealizar e esquecemos de fazer aquelas perguntas difíceis, mas que nos ajudam a tomar decisões. 
Como se não bastasse, ainda tem a pressão dos familiares e amigos que tentam nos convencer de ir para um lugar ou outro.

4 dicas para te ajudar a escolher o melhor destino para seu intercâmbio


Mas, não adianta, é preciso considerar várias questões para encontrar o país e a cidade que mais tem a ver com o seus gostos e sua personalidade.
 

1)Defina seu objetivo

Para começar, responda a seguinte pergunta:
Por que você quer fazer um intercâmbio ?

Você quer aprender um novo idioma ou aperfeiçoá-lo ?
Está interessado em fazer uma pós-graduação ou curso profissionalizante, para aprimorar o seu currículo e aumentar suas chances de colocação no mercado de trabalho ?

Quer combinar estudos e trabalho? (Isso só será possível na Austrália, Nova Zelândia, Malta, Irlanda e Espanha) ? Fazer um voluntariado ou estágio na sua área?

 

Escolher um objetivo vai te ajudar a identificar países mais alinhados com a sua meta. Se você quer aprender inglês, não faz sentido ir para um país que não fale esse idioma. Se quer trabalhar na sua área, precisa encontrar os lugares onde ela é forte e tem maiores chances de emprego para estrangeiros.
 

2)Conheça suas preferências
 

Faça uma autoavaliação.

Considere aqui suas preferências pessoais, mas não se limite à realidade que você tem hoje, reflita sobre o que está disposto
a abrir mão (OU NÃO) e também sobre o seu ritmo de vida. Será que você topa morar em cidades pequenas ou prefere capitais agitadas? 
Pesquise extensivamente sobre todos os lugares que estão na sua lista.
Se informe sobre o clima na época que você vai estar por lá, gastronomia, costumes, tradições, hospitalidade, meios de transporte, facilidade de viajar para outros países. Você precisa simpatizar com a vida local.
No final, pese as vantagens e desvantagens de cada destino. Você odeia frio e no período da sua viagem é justamente quando neva? Mas em compensação o preço é muito bom e o curso se enquadra dentro das suas expectativas? Avalie se os pontos positivos do destino são maiores e mais favoráveis que os pontos negativos.

Não descarte um lugar só porque um detalhe ou outro te desagrada, afinal se adaptar a novas culturas faz parte da experiência de intercâmbio. 


3)Qual seu orçamento ?
 

Orçamento apertado não deve ser um fator limitante da sua escolha.

Porém, não dá para ignorar o fator câmbio e custo de vida na hora de escolher seu destino – pois isto também está diretamente relacionado ao seu estilo de vida.
Assim, como existem cidades brasileiras mais caras ou mais baratas para se morar, o mesmo acontece com outros países do mundo.
Pesquise o custo de vida nas cidades que você tem interesse (sites como Numbeo podem te ajudar) e caso fique impossível ir para a cidade dos seus sonhos considere uma opção parecida.
Por exemplo, se você quer muito fazer seu intercâmbio em Londres que é uma das cidades mais caras do mundo, poderá considerar cidades menores que estejam próximas, assim você pode visitar Londres algumas vezes.

Não esqueça que além do valor curso existem outros gastos a considerar:
Passagem Aérea
Visto e Exames Médicos (caso necessário)
Seguro Viagem
Hospedagem
Alimentação
Transporte
Entretenimento 

Uma coisa é certa: sempre haverá uma opção de intercâmbio para o seu bolso.

Uma coisa é certa: sempre haverá uma opção de intercâmbio para o seu bolso.

2)Visto

E por último, mas não menos importante, o visto. 
As regulamentações sobre vistos variam muito de país para país e, em alguns países, variam de estado para estado e até de província para província., como no caso do Canadá, exemplo.
Verificar se você tem o perfil e as exigências para entrada nesse país é importante antes de decidir seu destino. Em último caso, você poderá escolher um país que não exija um visto ou um que tenha um processo barato e direto, como Irlanda, África do Sul ou Inglaterra. 


Investir no planejamento da sua viagem, como a escolha do lugar mais adequado para seus objetivos, pode ser a diferença entre voltar para casa com a sensação de que ainda não conseguiu cumprir a sua missão ou realmente atingi-la.    

Ainda ficou com dúvidas sobre qual o melhor país para fazer seu intercâmbio? Quer conversar  com uma pessoa que entende do assunto?

Lilian Costa